Trechos Destacados #1 - Carta de Amor Aos Mortos


Quase todos os leitores tem a mania de marcar seus trechos preferidos em livros, sejam frases de impacto, diálogos preferidos... Pensando nisso, uma vez por semana, traremos trechos de livros que foram muito marcados e tiveram muitas frases bacanas.

Decidimos começar com Carta de Amor Aos Mortos. O livro conta a história Laurel que recebe como tarefa de casa escrever cartas para pessoas que já morreram. Nessas cartas, ela analisa a história de várias personalidades, como Kurt Cobain, e tenta desvendar o mistério que envolve suas mortes. Mas Laurel não consegue escapar do seu passado. Só quando ela escrever a verdade sobre o que se passou com ela e sua irmã é que poderá aceitar o que aconteceu e perdoar a May e a si mesma. 

Vamos aos quotes? 

Sabe quando você acha que conhece alguém? Mais do que qualquer um no mundo? Você sabe que entende a pessoa, porque a enxerga de verdade. E então você tenta se aproximar, e ela… desaparece. Você achava que pertenciam uma à outra. Achava que ela era sua, mas não é. Você quer protegê-la, mas não pode.

Halloween é um dos meus feriados favoritos. O Natal e os outros às vezes nos deixam tristes, e há o peso de ter que ser feliz. Mas no Halloween você pode ser o que quiser.



Um amigo é alguém que dá liberdade total para você ser você mesmo – especialmente para sentir ou não sentir. Qualquer coisa que você sinta naquele momento está bom para ele. É o que amor verdadeiro significa – deixar alguém ser ele mesmo.

Talvez ao contar histórias, por pior que sejam, não deixemos de pertencer a elas. Elas se tornam nossas. E talvez amadurecer signifique que você não precisa ser personagem seguindo um roteiro. É saber que você pode ser a autora.


"Você pode achar que quer ser salva por outra pessoa, ou que quer muito salvar alguém. Mas ninguém pode salvar ninguém, não de verdade. Não de si mesmo.

E aí, gostaram de alguma frase?



Quotes Perdidos

Norte riograndensse, blogueira por amor ao livros. Curte séries tanto quanto ama terror. Um bom drama vale a pena e nada melhor que um filme junto com um friozinho. Prazer, pode me chamar de Andy.

Um comentário: