O primeiro fim a gente nunca esquece

Foto: StockSnap

Hoje, quando sentei para escrever, resolvi falar de amor. O começo do amor, para mim, sempre foi algo incrível. Especialmente o amor correspondido. Você e eu concordamos que não há sensação melhor que olhar para o lado e se sentir amada depois das tantas tentativas que deram erradas. É como se um pedaço seu se desse por inteiro para quem está ao seu lado e você levasse um pedaço daquela pessoa por cada cantinho. O inicio do amor faz das pessoas invencíveis, sentimos como se estivéssemos preparados para qualquer batalha apenas porque temos alguém em quem nos apoiar. Estamos prontos para tudo, menos para o fim.

O amor começa a acabar antes do se pensa. É como um bordado que vai se desfazendo aos poucos. Uma parte é puxada durante os momentos em que o carinho é deixado de lado. A outra se vai quando o cuidado e a gentileza vão perdendo espaço para a indiferença. A penúltima costura se desfaz quando a vontade de surpreender vai dando seu lugar a rotina. Tudo está próximo de quebrar. Pode ser a qualquer hora, a qualquer momento, a qualquer minuto. Quando o amor acaba, acaba e pronto. Sem avisos e hora marcada. Mas o fim ainda não chegou até que alguém o coloque para fora. Até que alguém pare de acreditar na ilusão de que tudo foi ocasionado por uma briga boba na sexta à noite e aceite que tudo que restou foram as lembranças boas no fundo da mala.

Foto: StockSnap

E com a gente não foi diferente. A gente acabou naquela terça-feira de Dezembro, quando percebi que além dos dias impacientes e movimentados, eu precisava também dos dias calmos e até monótonos que você jamais poderia me dar. Calma, a culpa não foi só sua. Também acabamos naquele dia, aquele em que parei de dar atenção ao que você estava passando e passei a pensar apenas em mim. Aquela grande luz brilhante foi se tornando pequenininha, até que sumiu. Continuamos insistindo, mas tudo bem, não é? Afinal, a parte mais difícil quando se ama alguém é deixar para lá. Tentamos nos manter firmes e buscar algum elo perdido, alguma ilusão que evite o que adiamos por tanto tempo, a solidão.

Esse foi o nosso erro. Pensar que não poderíamos seguir em frente depois de tanto tempo juntos, depois de tanto tempo sendo invencíveis para o mundo. E, droga, quase estragamos tudo. E então, o fim chegou. Lento e silencioso. Não foram preciso palavras. Você me olhou, eu te olhei. Então enxergamos, estava ali, era a hora. Nós sorrimos um para o outro e aceitamos que o nosso capítulo havia chegado ao fim. Era hora de colocar um ponto final e seguir em frente. Lembro perfeitamente, você me abraçou e sussurrou um "obrigado" baixinho. E depois bateu a porta. Era o fim. Ainda sim, tudo certo. Você foi o capítulo mais bonito da minha história, aquele que escrevi a caneta para jamais ser apagado. Afinal, como dizem por aí, o primeiro amor a gente nunca esquece. Eu não te esqueci.


Foto: StockSnap

Quotes Perdidos

Norte riograndensse, blogueira por amor ao livros. Curte séries tanto quanto ama terror. Um bom drama vale a pena e nada melhor que um filme junto com um friozinho. Prazer, pode me chamar de Andy.

Nenhum comentário:

Postar um comentário